Planeta Global

Sexta-Feira, 19 de Abril de 2019

África do Sul
Angola
Egito

Gana
Maurício
Namíbia

Nigéria
Quênia
Zâmbia

ÁFRICA
Candidatas: 9

 

Aruba
Bahamas
Barbados
Belize
Costa Rica
Curaçao
El Salvador
Guatemala
Haiti
Honduras

Ilhas Cayman
Ilhas Virgens Americanas
Ilhas Virgens Britânicas
Jamaica
Nicarágua
Panamá
Porto Rico
República Dominicana
Santa Lúcia

AMÉRICA CENTRAL
Candidatas: 19

 

Canadá

Estados Unidos

México

AMÉRICA DO NORTE
Candidatas: 3

 

Argentina
Bolívia
Brasil
Chile
Colômbia

Equador
Paraguai
Peru
Uruguai
Venezuela

AMÉRICA DO SUL
Candidatas: 10

 

Armênia
Camboja
Cazaquistão
China
Cingapura
Coreia do Sul
Filipinas
Índia
Indonésia
Israel
Japão

Laos
Líbano
Malásia
Myanmar
Mongólia
Nepal
Quirguistão
Sri Lanka
Tailândia
Turquia
Vietnã

ÁSIA
Candidatas: 22

 

Albânia
Alemanha
Bélgica
Bulgária
Croácia
Dinamarca
Eslováquia
Espanha
Finlândia
França
Geórgia
Grã-Bretanha
Grécia
Holanda

Hungria
Irlanda
Islândia
Itália
Kosovo
Malta
Noruega
Polônia
Portugal
República Tcheca
Rússia
Suécia
Suíça
Ucrânia

EUROPA
Candidatas: 28

 

Austrália

Guam

Nova Zelândia

OCEANIA
Candidatas: 3

 

Miss Universo é a mais importante competição internacional de beleza feminina, realizada anualmente e promovida pela Miss Universe Organization, de propriedade da empresa William Morris Endeavor. É um dos eventos mais vistos no mundo, com uma audiência internacional de cerca de um bilhão de telespectadores em mais de 180 países.

 

Foi criado na Califórnia em 1952 pela empresa de vestuário Pacific Mills e tornou-se através dos anos evento da Kayser-Roth Corporation e da Gulf and Western Industries, até ser comprado em 1996 por Donald Trump. Em 1998, o MU alterou sua razão social de Miss Universe Inc. para Miss Universe Organization e sua sede transferida de Long Beach para Nova York.

 

Donald Trump contratou uma nova equipe de profissionais de suas empresas para dirigir e organizar o concurso, incluindo a CEO Molly Miles e a presidente Maureen Reidy. Em setembro de 2015, Trump vendeu a organização e os direitos sobre os concursos de beleza que ele administrava para a empresa WME-IMG, do empresário William Morris Endeavor.

 

 

Além de ter dado o tetracampeonato para as Filipinas no Miss Universo, na manhã da segunda-feira (17), na IMPACT Arena, em Bangcoc, Catriona Elisa Magnayon Gray, 24, conquistou outro feito em 67 anos de existência do concurso de Miss Universo. Se tornou a sexta vencedora do concurso a nascer fora do país pelo qual competiu. Bacharelanda em música e especialista em esportes ao ar livre, Catriona Gray nasceu no dia 6 de janeiro de 1994 em Cairns (2.515 km ao norte de Canberra, capital da Austrália). Da mesma Austrália de Catriona vieram as duas únicas misses Universo do país, Kerry Anne Wells (1972) e Jennifer Hawkins (2004).
Única alemã a vencer o Miss Universo, Marlene Schmidt (1961) nasceu em Breslávia (347 km a sudoeste de Varsóvia, capital da Polônia) em 11 de novembro de 1937. Nessa data, a cidade natal de Marlene ficava na então Alemanha Oriental. Após a Segunda Guerra, foi anexada à Polônia após o Acordo de Pottsdam. A cidade foi palco de extermínio em massa de judeus durante o regime de Adolf Htler. Em 1960, com a divisão da Alemanha entre o leste comunista e o ocidente capitalista, Marlene se mudou com a família para Stuttgart, cidade natal da Miss Universo 2015, a filipina Pia Wurtzbach, nascida em 24 de setembro de 1989.
Madri foi o berço de onde veio a Miss Universo de 1986, a venezuelana Barbara Palacios, em 9 de dezembro de 1963. Filha de um casal de atores, Barbara se tornou a terceira venezuelana a vencer o Miss Universo, na Cidade do Panamá, em 21 de julho de 1986. Na ex-União Soviética, duas cidades foram o berço de duas misses Universo dos anos 2000 – Justine Pasek (PAN) que assumiu o título de Miss Universo 2002 após a destituição de Oxana Fedorova (RUS), em 29 de setembro de 2002, numa coletiva realizada em Nova York pela Miss Universe Organization, veio ao mundo em Carcóvia (na atual Ucrânia) no dia 29 de agosto de 1979. Em Tuapse, na Rússia, em 11 de novembro de 1981, nascia Natalie Glebova (CAN), eleita Miss Universo na manhã de 31 de maio de 2005, na mesma IMPACT Arena de Bangcoc. Glebova foi a quarta estrangeira a vencer o Miss Universo por outro país.